.


1º dia do Fórum de Geoparques Mundiais da Unesco de Língua Portuguesa contou com uma programação cultural

Ocorreram debates sobre a importância dos geoparques como instrumentos de conservação

Voltar Página | SETUR 14/07/2024

O primeiro dia do Fórum de Geoparques Mundiais da Unesco de Língua Portuguesa, realizado nesta terça-feira (25), no município de Currais Novos, foi marcado por uma programação cultural diversificada e enriquecedora. A abertura contou com especialistas, gestores e entusiastas dos geoparques para discutir questões relevantes sobre conservação, educação e turismo sustentável. 

O Fórum de Geoparques é uma realização do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria de Estado do Turismo do Rio Grande do Norte (Setur/RN), em parceria com a Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur/RN) e Serviços Brasileira de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/RN), com apoio do Consórcio Público Intermunicipal Geoparque Seridó e de instituições dedicadas ao desenvolvimento sustentável do turismo, principalmente no aspecto ambiental e dos atrativos naturais, incluindo os empreendimentos locais.

O evento transcorre até esta quarta-feira (26), no Teatro Municipal Ubirajara Galvão, em Currais Novos, no território do Geoparque Seridó, o encontro reuni especialistas, pesquisadores, gestores públicos e membros da comunidade local e internacional para debater sobre a importância dos geoparques como instrumentos de conservação, educação e turismo sustentável. A cerimônia de abertura contou com uma programação cultural e institucional. A apresentação do tradicional do “Coco de Rodado Seridó” pela Escola Trindade Campelo emocionou os presentes e destacou a herança cultural da região.

A governadora Fátima Bezerra encerrou os momentos de fala e destacou o momento histórico que o Rio Grande do Norte está vivendo com o fórum. “O Seridó Geoparque Mundial da Unesco é, um dos nossos maiores patrimônios, que impacta na interiorização do turismo. O evento não apenas promove a valorização do patrimônio geológico e cultural da região, mas também fortalece a cooperação internacional entre os geoparques lusófonos. É um momento de celebração para promovermos a importância de conservar e promover esses espaços, que não só são vitais para a proteção ambiental, mas também para o turismo sustentável e o desenvolvimento socioeconômico local”, destacou.

”A realização do 1º Fórum de Geoparques Mundiais da Unesco de Língua Portuguesa representa um avanço significativo na valorização do turismo potiguar, reforçando a imagem da região, permitindo uma integração entre os principais atores do setor. Este encontro é uma oportunidade para a troca de experiências e conhecimentos entre os geoparques no Brasil e em Portugal, ocasião em que temas relevantes serão apresentados pelos palestrantes, reforçando nosso compromisso com práticas que respeitam e conservem o meio ambiente nas políticas públicas,” afirmou a secretária do Estado de Turismo, Solange Portela.

Durante o evento, especialistas discutiram como os geoparques podem servir como alavancas para o turismo sustentável, atraindo visitantes ao mesmo tempo em que protegem os recursos naturais e culturais locais. 

"O fórum é um marco importante para a ampliação do reconhecimento dos geoparques em países de língua portuguesa, promovendo um modelo de desenvolvimento que harmoniza turismo e conservação ambiental, apresentando projetos bem-sucedidos e explorando oportunidades para cooperação internacional", relatou o diretor-presidente da Emprotur, Raoni Fernandes.

“Realizar este fórum no território do Seridó Geoparque Mundial da Unesco mostra o quão estamos focados na promoção do desenvolvimento territorial sustentável, trabalhando o local com foco no global”, disse o Coordenador Científico do Geoparque Seridó, Prof. Marcos Nascimento.

Outro momento de destaque foi a divulgação do local que sediará a 2ª edição do Fórum, reforçando o compromisso com a continuidade e expansão dos debates sobre os geoparques em países de língua portuguesa. A 2ª edição ocorrerá no Arouca Geoparque Mundial da Unesco. O primeiro dia do evento foi encerrado com uma apresentação da Orquestra Sinfônica, que brindou os participantes com um repertório, finalizando a noite com maestria.

 

Sobre o Geoparque Seridó:

O Seridó Geoparque Mundial recebeu o reconhecimento pela Unesco em abril de 2022, passando a integrar oficialmente o Programa Internacional de Geociências e Geoparques. O território abrange uma área de 2,8 mil quilômetros quadrados, ocupando territórios em seis municípios do Seridó: Acari, Carnaúba dos Dantas, Cerro Corá, Currais Novos, Lagoa Nova e Parelhas. Este reconhecimento ressalta a importância do Geoparque Seridó como um modelo de desenvolvimento sustentável, integrando a conservação do patrimônio geológico com a promoção do turismo e o desenvolvimento econômico local.

 

Geoparques Mundiais da Unesco no Brasil

A UNESCO designou os geoparques Seridó e Caminhos dos Cânions do Sul como Geoparques Mundiais da UNESCO em 2022. O geoparque Araripe foi o primeiro a ser designado pela UNESCO em 2006. Em 2023, os geoparques de Caçapava e Quarta Colônia também foram designados pela UNESCO como Geoparques Mundiais, e Uberaba foi designado em 2024.

Os Geoparques Mundiais da UNESCO (UNESCO Global Geoparks - GGN) são áreas geográficas únicas e unificadas, onde sítios e paisagens de relevância geológica internacional são administrados com base em um conceito holístico de proteção, educação e desenvolvimento sustentável. Sua abordagem ascendente que combina a conservação com desenvolvimento sustentável e que, ao mesmo tempo, envolve as comunidades locais, está se tornando cada vez mais popular.

 

Geoparques Mundiais da UNESCO em Portugal

A Rede Portuguesa de Geoparques iniciou-se em 2006 com a adesão do Geoparque Naturtejo à GGN. O segundo Geoparque português a integrar esta rede foi o Geoparque Arouca em 2009, seguindo-se o Geoparque Açores, em 2013, o Geoparque Terras de Cavaleiros, em 2014 e em 2020 foi classificado o quinto geoparque português, com a integração do Geoparque Estrela nas Redes Europeia e Global de Geoparques. Em 2024 o Geoparque Oeste se une aos cinco geoparques em Portugal.